domingo, 8 de janeiro de 2012

Zézinho

Senhor José,
Demorei muito pra te escrever, eu sei. Começo te pedindo desculpas por todas as mal criações que eu fiz enquanto você estava comigo. Lembra aquela vez que você me pediu água e eu disse que não era tua escrava? Perdoe-me. Se hoje eu pudesse, levaria-te todo um mar, um mar azul, como teus olhos. Azuis que transmitem toda a paz inexistente no mundo. Você é incrível, Vô.
Queria escrever aqui, nesta carta, um breve memorial, para que assim nós dois possamos trocar aprendizagens pelo o que passamos, juntos ou não. Lembra-se de todas as tuas viagens de caminhão? Das caronas que você dava? Daquela mulher que soltou um pum?? Lembrando até parece engraçado. Uma vez você me disse que queria voltar a trabalhar, que aposentar tinha te deixado assim. Pode até ser, mas você trabalhou enquanto pôde, meu anjo.
Sinto um extremo orgulho da beleza exótica que Deus te deu. Amo teus olhos tais como são, vesgos, contudo azuis. Lindos, como você. Você é o melhor homem do mundo, e mais sortudo. Teve oito lindos filhos e a esposa mais doce do mundo. Tenha certeza que hoje eu sinto muito orgulho de você.
Tenho certeza que você está no céu (tão azul como teus olhos), e daí você pode ver nosso sofrimento, nossa saudade, nossa dor, nosso amor. E é isso, eu te amo, e muito, muito mesmo. Eu te disse que voltaria na última vez que te vi, eu demorei, não é? Perdoe-me, queria ter chego a tempo de te abraçar, de te beijar as bochechas, de te dar meu coração, fígado, rim, pulmão, minha vida.
Escrevi mentalmente um monte de cartas, o senhor recebeu? Eu não entendo, sinceramente, não entendo. Entretanto entendo que o senhor é tão bondoso que Deus quis te levar com ele. Eu entendo Deus! No lugar dele, eu faria o mesmo.
Vou sentir saudades eternas de você e gostaria muito que o senhor me ajudasse, não me deixa, ajude-me nas minhas escolhas, tudo bem? Eu nunca vou esquecer do teu sorriso, do teu jeito de andar, da cadeira que você sentava na varanda, da cadeira da cozinha, da tua voz pedindo pra Vó fazer café, dos teus chinelos, da tua camisa azul, do teu óculos, do teu sorriso-piscada-mostrada de língua. Você se foi em uma hora ruim para mim, qualquer hora que você fosse seria ruim. Sequer sei tua idade (péssima neta, eu sei), mas sei que você viveu pouco, pouco demais! Vou te levar pra sempre, meu amor, minha vida, meu herói.
Você foi aquilo que a Delaine sempre disse que era: um "soldado da paz". Então, por favor, Vô, ai do céu, ajude Deus a espalhar a paz no mundo.
Obrigada por cada sorriso, por cada abraço.
Te amo muito,
Daiane (tua branca).

Um comentário:

  1. Oii Daai ;D Eu sei que não está sendo fácil pra você esta perda enorme mas eu sei exatamente o que você está sentindo, perdi minha avó mas já faz um tempo só que pra mim parece que ela foi fazer uma viajem longa e vai voltar a qualquer momento porque eu ainda não acredito que ela se foi deste plano, sempre vou pensar que fiz pouco por ela mas não fique se martirizando pois seu avô sabe que você fez tudo por ele e que você está sofrendo ! Escrevi essas palavras para de qualquer modo te confortar e dizer que você não está sozinha nessa, sei que fui embora daí faz um tempão e que até então não conversamos muito mas você para mim sempre será aquela Daiane amiga e inteligente que sempre me ajudava que sempre estava comigo nas horas difíceis, eu me lembro de tudo, estou longe mas sempre pode contar comigo, nunca vou me esquecer de você e sempre vou estar aqui para todas as horas, até as horas difíceis ! Um Beijão, meus sentimentos !

    ResponderExcluir